Colocação de eletrodos - Orientações

Explicação para colação de eletrodos
A colocação do eletrodo é muito importante para uma atuação eficaz da corrente EMS. Muitas pessoas sentem que esse processo é mais como uma arte, do que uma ciência. No entanto, isso não tem de ser. Muitas pessoas também, ao tentar usar a EMS em um músculo que nunca foi estimulado antes, sentem-se embaraçadas ao pedir aconselhamento especializado. Muitos perguntam a posição exata para colocação do eletrodo no musculo, e temem que a posição não estando correta, o treino com uso da EMS não ira funcionar. Compreender alguns de princípios vai ajudar com o posicionamento do eletrodo para qualquer músculo.

Os principais pontos a ter em mente são:
Posição em relação à anatomia muscular;
Direção entre eletrodos;
tamanho dos eletrodos.
Polaridade na minha opinião, e que de vários pesquisadores respeitados, não é importante, mas vou mencionar um problema com ele mais tarde.

Posição
De um modo geral você quer estimular os músculos quando eles estão em uma posição intermediária, entre a extensão total e a plena contração. Para as pernas, por exemplo, atletas mais experientes posicionar suas pernas um pouco extendidas do que 90 graus (100-110). Se você colocar os eletrodos antes de chegar a geometria correta, os riscos de posição do eletrodo ideal para mover-se com relação à placa motora músculo que você quer atingir.
Um eletrodo vai para o ventre do músculo. Também é chamado o bloco ativo, e no ventre do músculo coincide com o ponto motor, isto é, o ponto em que a inervação chega no músculo. Por exemplo, no vasto lateral, isto é, a parte de fora do quadríceps, na parte ventral em seu músculo, diversas polegadas longe de seu joelho.
O outro eletrodo, o chamado bloco inativo, vai para a extremidade proximal do músculo. Este é o lado do músculo mais próximo da sea inervação, isto é, mais perto da cabeça ou na coluna vertebral. Você quer que o eletrodo de ainda estar em uma parte carnuda do músculo; você não quer que esta almofada para estar onde o músculo se transforma em seu tendão, porque não há inervações sobre o tendão. Portanto, para se certificar que está no lado do músculo, você tendem a errar no lado do músculo. No nosso exemplo do quad fora, este é um par de polegadas abaixo da linha da virilha, obviamente, ainda na parte exterior da coxa.
A melhor maneira de entender essa colocação é flexionar seus músculos: o vídeo apresentado nesse site (© 2008 Gianpaolo Boschetti) demonstra isso muito bem. Para ajudar com a posição correta, é melhor checar a anatomia do músculo onde você irá realizar a eletroestimulação. Eu achei o recurso on-line acessível a partir do link neste site muito útil. Você também pode adquirir uma tabela 8.5x11 de anatomia dos músculos, para levar junto com você, quando não houver a possibilidade do acesso a internet. Eu menciono dois que possuo: Muscular System, Spark Charts by Barnes & Noble; Muscular Sytem, by BarCharts Inc., at www.quickstudy.com. Tenha em mente que a anatomia muda de pessoa para pessoa. Eu exemplo bem claro é a panturrilha: há pessoas com longas panturrilhas, e pessoas com essa musculatura mais compacta.

Eletrodos de dupla entrada
Cabe a você decidir se quer usar eletrodos de uma entrada padrão, ou eletrodo com entrada dupla. Isso não faz muita diferença, porque os canais separadamente enviam a corrente não ao mesmo tempo. De um ponto de vista prático, os eletrodos de dupla saída são fáceis de aplicar(você precisar colocar um eletrodo, ao invés de dois), e provavelmente economizar algum dinheiro. Entretanto, a posição do eletrodo duplo é necessariamente um compromisso entre duas posições para os dois músculos que você esta tentando estimular, e pode ser visto no vídeo postado em nosso site, atletas profissionais preferem dois eletrodos separados no quadríceps.

Direção

Uma Linha imaginária conectando o centro de um eletrodo, ao centro do outro eletrodo, deve seguir mais ou menos a direção das fibras musculares. Isso é, de um modo geral, a direção ao longo do músculo faz a contração. Um músculo se contrair e têm as chamadas contrações tetânicas, mesmo que os eletrodos não estejam alinhados. Isto é porque os eletrodos, eventualmente  terminam fechando o circuito em algum lugar através do músculo, e neste circuito algum nervo pode ser atingido. Entretanto, para ser mais efetivo ao acertas mais fibras nervosas você deve colaborar com a geometria do músculo, e trabalhar ao longo das fibras.

 

Além disso, se o circuito de corrente está devidamente fechada ao longo de muitas  inervações e fibras, a corrente vai encontrar menos resistência em seu caminho. Isso é muito importante para se obter uma contração mais forte, afetando diretamente o conforto. Usuários da EMS aumentam  a corrente até seu nível de conforto, que é, claro, abaixo do limiar da dor. E dor é causada altas voltagens atravessando a pele.

 

Deixe-me explicar como a corrente, voltagem e resistência esta relacionadas. A corrente flui num circuito afetado pela tensão aplicada e pela resistência encontrada. Se você aumentar a tensão mais corrente irá fluir e vice-versa. Se você aumentar a resistência menos corrente fluirá e vice-versa. O eletroestimulador Globus é um gerador de corrente constante: isto significa que o dispositivo tenta manter o nível constante de corrente de estimulação. Você precisa de um certo nível de corrente para estimular os músculos. Para fazer isso, atue diretamente sobre as teclas de controle do seu produto, para o canal particularmente. Como você faz isso o estimulador traz à tona a tensão para obter o atual nível particular de corrente que você mandou. Se a resistência aumenta neste circuito, o estimulador irá aumentar a tensão para manter a corrente aumentando; Se a resistência diminui neste circuito, o estimulador irá diminuir a tensão para manter a corrente e evitar que ela suba.

 

No entanto, a tensão está diretamente associada com a sensação de formigamento. À medida que a voltagem aumenta, o formigamento se torna mais intensa, até que se torne doloroso e intolerável. Isso explica porque durante ou imediatamente após o aquecimento você esta apto para aumentar o nível da corrente. O aquecimento aumenta o fluxo sanguíneo em seus músculos, e mais sangue significa menos resistência de passagem da corrente. Menos resistência significa que o estimulador precisa gerar menos voltagem para manter o nível da corrente; por sua vez, menos tensão faz com que o formigamento seja menor. Você esta hábil para aumentar a intensidade, e sua contração aumenta.

 

Voltando para o porque a direção dos eletrodos é importante. Se a corrente necessita passar pelas fibras musculares, ao invés de fluir ao longo das fibras, acontecerá o seguinte: a resistência será maior, que fará com que a voltagem a ser mais elevada para manter a corrente constante, que vai fazer você acertar o seu nível de desconforto mais cedo, e

você não será capaz de chegar  tão forte contração. Infelizmente, muitas literaturas e imagens de colocação de eletrodo disponíveis parecem desprezar esse princípio. O mais desprezado na colocação de eletrodos para o músculo peitoral, onde muitas imagens mostram um eletrodo sobre o outro, ao invés de um próximo a xila, e o outro na direção do centro do peito.

Tamanho

Há duas escolas de pensamento. Uma escola de pensamento defende eletrodos tão grandes quanto eles podem caber em uma área específica do corpo. Os outros pensadores defendem tamanhos diferentes para ser capaz de concentrar o fluxo de eletricidade na direção mais adequada. A escola de pensamento que defende  eletrodos maiores disponíveis, assume que quanto maior o eletrodo, o mais fácil será para distribuir corrente no músculo, maior o nível de conforto, mais você será capaz de ir com a intensidade da corrente, e mais forte será a contração. A escola de pensamento para tamanhos diferentes recomenda colocar o eletrodo menor no ventre do músculo. A lógica é que, com um eletrodo  menor a corrente irá concentrar-se na placa do nervo motor, que está à direita no centro do músculo. Ele acredita ainda que a concentração também irá ajudar o alcance fluxo de corrente mais profundamente no músculo antes de atravessar para o outro eletrodo posicionado proximalmente. No entanto, executar simulações usando as leis de eletricidade mostra que esta concentração é marginal.

 

Portanto, a minha sugestão é tentar usar ambos e ver qual funciona melhor para você.

Polaridade

No início desse texto, eu expliquei que na minha opinião a posição dos eletrodos não são importantes, mas há pessoas que descordam com isso. Este tem sido um ponto de discórdia entre as pessoas que abraçaram as diferentes ideias. Em poucas palavras, a corrente EMS gerada pelos eletroestimuladores Globus. É um tipo especial de corrente alternada, porque a sua forma de onda é retangular e não sinusoidal como a corrente na tomada em casa. No entanto cada ligação mantém alternando entre polaridade + e - . Portanto, não há uma vantagem + adequadamente chamado para se conectar a um pad ou o outro. Você pode convencer-se deste fato, fazendo uma pausa em sua sessão com a corrente EMS, trocando as ligações, e em seguida, retomar o trabalho. Você sentiu alguma diferença? Eu não. Bem, pesquisadores respeitados dizem que no local final da colocação do eletrodo e conexões devem ter um arranjo que cause uma contração mais forte. Então, se você não experimentar qualquer mudança de força de contração, deve ser porque os dois condutores são indiferentes a qualquer uma dos dois eletrodos. Muitos pesquisadores no campo da EMS para o treinamento do esporte concordam que os dois condutores podem ser ligados indiferentes. Entretanto, no campo terapêutico para o uso da eletroestimulação, há muitas aplicação com correntes assimétricas (isto é, correntes que não se repetem exatamente sobre o lado - o que eles fazem no lado do +). Mais notáveis são certos tipos de TENS (terapia da dor). Para estas aplicações, por isso,não faz uma diferença a forma como o + e - estiverem conectados. Desde que a EMS está intimamente ligada ao uso de eletroestimulação para a terapia, a maioria dos estudiosos em seus trabalhos de pesquisa menciona a forma como os cabos foram conectados em seus laboratórios. E isso tende a ficar na mente de alguns estudiosos na comunidade  da EMS. Alguns autores referem-se ao eletrodo sobre o ponto motor como o eletrodo ativo, e o outro eletrodo como inativo. Mas por causa da miscigenação entre o campo da medicina e o campo de treinamento, a palavra ativa e o + tendem a ser usados alternadamente, e por isso são as palavras inativo e -.

Além disso, a maioria das empresas que produzem dispositivos EMS também produzem dispositivos para o mercado médico. Isso faz com que os condutores e muitos artigos sobre posição do eletrodo mostrarem imagens a serem marcadas com + e -. Mas isso é a única razão pela qual você vê a polaridade em manuais, fotos e artigos, e não por qualquer outra razão. Relaxe e conecte seus eletrodos com sua preferência.

As ideias expressas neste documento refletem as opiniões do autor, e não devem ser interpretado como prescrição de natureza médica ou terapêutica

Preset Color